Sexta-feira, 28 de Dezembro de 2012
Lançar OPA sobre jogadores do Sporting
por Henrique Raposo, Sex 28/Dez/12

Parece que Daniel Carriço, bom central e ex-capitão do Sporting, está a caminho da nação gloriosa. Acho bem. Nas mãos milagrosas do míster Jesus, Carriço ainda vai ser um Beckenbauer. Aliás, Jesus chamaria um figo a muitos jogadores do plantel do Sporting. Como se sabe, a macumba do míster consegue transformar um sujeito com reumático num Garrincha infernal. Portanto, com todo o rigor científico que caracteriza a minha prosa de índio do terceiro anel, sugiro uma linha de acção à SAD gloriosa: lançar uma OPA sobre alguns diamantes leoninos que andam por ali aos caídos. Sim, diamantes. Metade da equipa do Sporting tinha lugar no onze do Benfica. Não acreditam? 

 

Mesmo com um joelho à Mantorras, o russo-que-não-sorri tem lugar em todas as equipas da Península Ibérica. Ok, está bem, eu reduzo a hipérbole: tirando aqueles óvnis estacionados em Barcelona e Madrid, Izmailov tem lugar em todas as equipas da Península Ibérica. Na defesa, Insúa seria titular de caras no Benfica; teríamos finalmente um lateral-esquerdo, depois de um perna de pau brasileiro e de um remendo paraguaio. À frente de Matic, Elias também seria titular. A maldição do Sporting entorpeceu-lhe o talento, mas convém recordar que este menino é internacional brasileiro. Quando chegou ao Sporting no ano passado, Elias parecia um Maniche negro. Sem Witsel, sem Aimar e sem Carlos Martins, Adrien Silva teria muito espaço. Não é bem um 10 aimaresco, mas a equipa (com Lima e Cardozo) não precisa de príncipes no meio campo, só precisa de um 8 eficiente. Nas mãos de Jesus, Adrien bateria Moutinho aos pontos, até porque sabe rematar - ao contrário do coelhinho atómico do Porto.

 

Para terminar, gostava de pedir a contratação de Boulahrouz. Não, este holandês com cara de guarda prisional alemão de tempos idos não seria titular, e também não seria suplente. Aliás, não o queria para jogador, mas para guarda-costas da equipa, sobretudo nas deslocações às Antas. Há que ter cuidado com os túneis do Guarda Abel. 

 

 

Crónica do "benfiquista terminal" do Expresso
gloriosamente escrito por Henrique Raposo
link do post
Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2012
Feliz Natal Benfiquistas
por Nuno Gouveia, Sex 21/Dez/12

 

PS: não confundir: a Páscoa não é em Dezembro. 

gloriosamente escrito por Nuno Gouveia
link do post | chutar para golo | ver comentários (1)
Quarta-feira, 19 de Dezembro de 2012
Estou confuso
por José Maria Barcia, Qua 19/Dez/12

Jesualdo Ferreira é o manager.

 

Franky Vercautren é o treinador.

 

Afinal, quem escolhe o 11 inicial?

gloriosamente escrito por José Maria Barcia
link do post | chutar para golo
Domingo, 16 de Dezembro de 2012
Excelente noite de futebol
por Nuno Gouveia, Dom 16/Dez/12

 

Começamos a perder. Por vezes a equipa chegava perto da baliza do Marítimo e não conseguia sequer criar perigo. E sim, o adversário este ano está mais fraco do que em temporadas anteriores. Tudo verdade. Mas o Benfica desta noite merecia mais do que quatro golos, tantas foram as vezes que falhou oportunidades flagrantes. Qualquer pessoa que estivesse a assistir ao jogo percebia que era inevitável o golo do Benfica. Como é habitual, lá surgiu Cardozo para acalmar os espíritos mais inquietos, novamente com um hat-trick, assumindo a liderança dos melhores marcadores com 13 golos. Isto em 12 jogos. E já lá vão 100 golos no campeonato do nosso melhor avançado das últimas décadas. Outros destaques do jogo? Mais uma grande exibição de Matic, que por momentos até já faz esquecer aquele outro enorme jogador que agora passeia a sua classe por Manchester; Lima, ele que tanto batalhou, também merecia um golo, mas coube a Rodrigo entrar e marcar. E Ola John, que continua a ser um terror para as equipas adversárias. Nota final para Gaitán, que parece querer algo mais com o jogo. É a segunda vez consecutiva que entra bem, tentando mostrar a Jesus que pode contar com ele para a segunda parte da época. Óptimo sinal, pois estou certo que vamos precisar da sua qualidade futebolística.

gloriosamente escrito por Nuno Gouveia
link do post | chutar para golo
Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2012
Os jogadores do Benfas foram bonzinhos
por Henrique Raposo, Qua 12/Dez/12

espirito_santo.jpg (1024×768)

 

Crónica de hoje do Expresso online

gloriosamente escrito por Henrique Raposo
link do post
Terça-feira, 11 de Dezembro de 2012
Missão cumprida
por Filipe Boto Machado, Ter 11/Dez/12

Em épocas já algo distantes, um jogo com o Sporting representava não só 3 pontos para o Benfica como -3 para o Sporting na luta pelo título. Neste ano, o jogo resumia-se a saber quantos pontos o Benfica trazia deste jogo. Não podíamos perder pontos contra os calimeros. Nas contas finais, o Porto terá certamente 6 pontos nos jogos com o Sporting. O Benfica tem de somar outros 6 pontos e 3 já cá cantam. Além disso, há sempre o factor motivação de vencer um derby frente ao Sporting. Disse num post anterior que, para sermos campeões, temos de marcar a diferença nos principais jogos deste campeonato, nomeadamente frente a Porto, Braga e Sporting, não só pelos pontos em disputa, mas também pela carga emocional que representa um resultado positivo ou negativo neste tipo de jogos. Ontem, o Benfica venceu, cumpriu a sua missão e continua na luta pelo título.

Quanto ao jogo, confesso que não gostei da forma como o Benfica jogou ontem em Alvalade. Nunca conseguimos ganhar o meio-campo na primeira parte e isso deveu-se à forma como a equipa se posicionou em campo. Se Matic se junta aos centrais na saída de bola e Lima não recua para vir buscar jogo, sobra André Gomes para um espaço de 25x25metros, obrigando o Benfica a jogar apenas pelas alas (uma de cada vez, pois não existe ninguém no meio para receber a bola e virar o jogo) ou no pontapé para a frente (sem ninguém para ganhar as segundas bolas no meio-campo). Contra o Moreirense ou o Paços, este tipo de jogo funciona, pois não se nota o espaço entre o meio-campo e os avançados. No entanto, contra uma equipa que pressione e queira algo mais do jogo, a distância entre sectores torna-se demasiado evidente, o jogo fica denunciado, as linhas de passe não existem, sobram os pontapés para a frente, as perdas de bola sucedem-se e as segundas bolas são quase todas do adversário. O Sporting jogou como equipa pequena. Onze jogadores atrás da linha da bola, meio-campo lotado e pressão em cima dos jogadores do Benfica quando estes passavam o meio-campo de modo a contra-atacar rapidamente com passes nas costas da defesa do Benfica. Pranjic, Elias, Carillo e Capel correram até rebentar e felizmente rebentaram. Com ou sem jogo na passada sexta-feira, o Sporting dificilmente aguentaria aquele ritmo mais do que 60 minutos. Assim aconteceu. Com a quebra do Sporting houve mais espaço para Salvio e Ola John, a distância entre setores no Benfica diminuiu com a subida possível de Matic e André Gomes, Lima passou a fazer a ligação entre o meio-campo e o ataque, e Cardozo apareceu para resolver o jogo como só ele sabe.

Vencemos justamente e continuamos na luta pelo título, mas não fiquei plenamente convencido. Espero que JJ entenda o que não correu bem no jogo de ontem e o corrija quando recebermos o Porto em Janeiro. Nos jogos com os adversários mais pequenos o Benfica ataca 80% do tempo de jogo, logo pouca gente no meio-campo, nomeadamente quando joga em casa, não é um grande problema. Em jogos com nível de dificuldade mais elevado, esta táctica tão "corajosa" coloca-nos a jeito. Não podemos voltar a entregar o meio-campo ao adversário. O que importa no rescaldo deste jogo é que continuamos na luta pelo título e isso, para um benfiquista, é muito mais importante do que uma vitória frente ao Sporting, especialmente este Sporting.

 

PS 1: Boas exibições de Artur, Ola John, Salvio, Lima e Cardozo, especialmente este último, mais uma vez decisivo e a dar mais três pontos ao Benfica. No plano oposto, como o Nuno já tinha referido, exibição insuficiente de Maxi Pereira e a confirmação de que Jardel não está ao nível do nosso capitão Luisão.

 

PS 2: Ontem, o Sporting teve um único português em campo durante os 90 minutos, Rui Patrício. O Benfica jogou com dois portugueses, André Gomes e André Almeida. Já nem esta vitória moral os calimeros podem levar para casa...

gloriosamente escrito por Filipe Boto Machado
link do post | chutar para golo
O matador triste
por Bruno Vieira Amaral, Ter 11/Dez/12

Como qualquer benfiquista tenho uma teoria sobre Oscar Cardozo. É uma teoria que nasce de uma reacção espontânea. Quando oiço alguém referir-se ao paraguaio como “matador” ou “predador” desconfio. Falta a Cardozo a frieza assassina do matador e não consigo imaginar um predador sem pensar em características felinas, como a agilidade, e felino é adjectivo que não cola ao rapaz, a não ser que nos lembremos das criaturas tristes e pachorrentas, quase bovinas, que habitam as jaulas dos melancólicos circos que se instalam nos baldios lamacentos dos nossos subúrbios. Uma coisa é certa: nenhum de nós, por muito mansos que nos pareçam estes seres, se atreve a esticar a mão para o interior da jaula. É que um tigre é um tigre é um tigre. Não precisa de afirmar a sua tigritude, basta-lhe lançar-se sobre a presa e devorá-la. E Cardozo, atabalhoadamente, desajeitadamente, lá vai devorando presas, ao seu ritmo lento, aparentemente desinteressado, invisível. Porque Cardozo, dizem, desaparece dos jogos. E, depois de marcar, desaparece dos festejos. Vejam-no na capa d’ A Bola: um grito pesado, a trair a solidão funda de índio. Cardozo marca golos, não para os celebrar, mas para se aliviar de um peso assombrado que regressa sempre (vejam a capa d’ O Jogo: os colegas riem e ele é índio impassível), golos que desaparecem rapidamente da memória dos adeptos e, creio, do próprio Tacuara. É por isso que os comentadores ficam espantados quando contabilizam os golos de Cardozo (têm de consultar as estatísticas para acreditarem): o homem marca golos importantes mas não marca golos memoráveis. Outros avançados marcam golos para ficarem na história; Cardozo marca golos para que, no tempo que dura um jogo, não nos esqueçamos que ele ainda anda ali. Os adversários – as presas – normalmente esquecem-se e, então, ele é letal. É, e será sempre, um matador triste, inconsolável e, até nos festejos, apagado. Esta aparência é o seu veneno. Que fique por cá muitos anos.

 

gloriosamente escrito por Bruno Vieira Amaral
link do post | chutar para golo | ver comentários (2)
Não corre, não finta... não falha
por Francisco da Silva, Ter 11/Dez/12

 

O Godinho Lopes que não se preocupe em levar o Sporting ao lugar que ele merece.

O Cardozo já tratou disso.

gloriosamente escrito por Francisco da Silva
link do post | chutar para golo
Lima Rooney
por Henrique Raposo, Ter 11/Dez/12

O JJ tem de mostrar vídeos do MU ao Lima. Ainda demora muito tempo a perceber que tem de baixar.

gloriosamente escrito por Henrique Raposo
link do post
Segunda-feira, 10 de Dezembro de 2012
Valeu-nos Cardozo
por Nuno Gouveia, Seg 10/Dez/12

Foto Benfica Facebook

 

A forma como o Benfica encarou este jogo deixou-me preocupado. A equipa adversária era fraquinha, mas é precisamente nestes jogos que se podem perder campeonatos. E aqueles primeiros trinta minutos deixaram muito a desejar, pois sofremos um golo e notava-se uma apatia geral nos jogadores. Na segunda parte veio ao de cima o melhor dos nossos jogadores, com Ola John, Sálvio e o inevitável Cardozo a puxarem dos galões para conseguir uma vitória confortável. Uma palavra positiva para a exibição de André Gomes, que está a impor-se na equipa com grande categoria, e uma negativa para Maxi Pereira. O que se passa com o uruguaio, que anda uma desgraça?

 

PS: será que ainda há algum benfiquista que não se envaideça pela presença do grande Cardozo no Benfica? 

gloriosamente escrito por Nuno Gouveia
link do post | chutar para golo
Assim, não!
por rms, Seg 10/Dez/12

Toda a gente goza com os pequeninos...

 

Pedido de desculpas da direcção da TSF aqui.

Tags:
gloriosamente escrito por rms
link do post | chutar para golo
Quinta-feira, 6 de Dezembro de 2012
Tivemos o que merecemos
por Filipe Boto Machado, Qui 06/Dez/12

Sejamos francos, tínhamos o Barcelona no grupo, mas estava claramente ao nosso alcance passar em 2º lugar. Celtic e Spartak não são equipas de oitavos-de-final da Champions. Não passámos porque fomos incompetentes.

Começámos com um empate em Glasgow. Não sendo um resultado espectacular, no contexto em que foi alcançado, com Witsel e Javi Garcia acabadinhos de serem transferidos, não foi nada mau. No jogo seguinte recebemos o Barcelona, mas não quisemos nada com o jogo. JJ decidiu encarar a derrota naquele jogo como um inevitável destino. A fechar a primeira volta fomos a Moscovo perder com o Spartak, hipotecando as nossas aspirações de passar à próxima fase. Só não foi pior porque na mesma jornada o Barcelona venceu o Celtic no último minuto do jogo. Nos dois jogos seguintes cumprimos a nossa obrigação, vencendo em casa Spartak e Celtic, só que nas contas de JJ estavam vitórias do Barcelona em todos os jogos e isso não aconteceu em Glasgow, onde o Celtic venceu os espanhóis. A última jornada reservava-nos a temível visita a Camp Nou. No entanto, Tito Vilanova decidiu "dar-nos" uma mãozinha, colocando em campo uma equipa ao alcance do Benfica. Ainda assim, o Benfica não foi capaz de vencer o jogo. O Celtic cumpriu a obrigação de vencer em casa o Spartak e nós fomos empurrados para a Liga Europa.

Ontem, criámos cerca de meia dúzia de claríssimas oportunidades de golo. No entanto, não conseguimos concretizar uma única dessas oportunidades! Ao intervalo já podíamos estar a vencer por dois ou três golos de vantagem. Na segunda parte, embora tendo sido menos produtivos, tivemos oportunidades suficientes para a história final ser outra, mas não fomos capazes de fazer golo. Não foi falta de sorte, foi incompetência. Falhámos demasiados golos para uma equipa que quer passar a próxima fase da Liga dos Campeões. A entrada em campo de Bruno César foi o primeiro sinal de que não merecíamos melhor sorte (o homem não joga absolutamente nada...). O lance final, com Maxi Pereira a rematar a bola dois metros acima da trave, foi a evidência que confirmou que este ano não merecíamos passar à próxima fase. Com tanta incompetência frente à baliza, só passaríamos à próxima fase se o Spartak fizesse o trabalho por nós. Podia ser essa a pontinha de sorte de que falava JJ, mas eu digo que isso já seria pedir demasiado. Na minha opinião, tivemos tudo para passar à próxima fase, mas os toscos escoceses foram muito mais ambiciosos, corajosos e competentes. Temos melhor equipa, mas não o provámos nas diversas oportunidades que tivemos.

 

PS 1: Só espero que a passagem para a Liga Europa, com o consequente aumento do número de jogos possíveis a fazer nas competições europeias (para quem não sabe, a Liga Europa tem mais uma eliminatória do que a Liga dos Campeões), não sejam desculpa para maus resultados nas competições internas. Estou farto dessa desculpa.

 

PS 2: Estes jogos mostram-nos que jogadores são capazes de jogar a um nível superior. Ontem, Artur, Ola John e Garay mostraram ter capacidade para jogar a um nível muito alto. Outros como Bruno César demonstraram todas as suas limitações.

gloriosamente escrito por Filipe Boto Machado
link do post | chutar para golo | ver comentários (8)
Os Gloriosos
Últ. comentários
Comigo foi aqui mais pertinho! Estavamos em Agosto...
Comigo, foi em Los Angeles. Pergunta habitual do m...
Há 28 anos, estava eu no metro em Budapeste quando...
Sou sócio do Benfica e o Benfica é a minha associa...
A fase "Rui Vitória" há-de ter melhores dias. Já t...
BLOGCOUNTER
Pesquisar
 
Posts recentes

Muy grandioso

Futebol dos anos 80

Jogos que não se esquecem

1988: Benfica a preto-e-b...

Inferioridade numérica

Arquivo

Setembro 2015

Agosto 2015

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Outubro 2008

Ligações
Mais comentados
20 comentários
19 comentários
16 comentários
16 comentários
Tags

a noite do oscar(1)

a um quinto do preço a que foi vendido o(1)

acidente(1)

adeptos(1)

aimar(3)

aimar; ópera; mozart; flauta mágica;(1)

alá é grande(1)

álvaro(1)

andrades(3)

andré almeida(1)

andré gomes(5)

aniversário(1)

anti-adepto(1)

antifa(1)

arbitragem(6)

assim se vê a grandeza do slb(1)

atletismo(2)

barcelona(1)

basquetebol(1)

benfica(56)

benfica tv(1)

benfica-porto(3)

benficácia(1)

bento(3)

bernardo silva(1)

biografia(1)

bloqueio(1)

bruno alves(1)

cada religião tem a sua catedral(19)

calimero(4)

campeão(2)

capdevila(2)

cardozo(7)

carlos manuel(2)

carrega(1)

carrega benfica(3)

carrega benfica; nós só queremos benfica(1)

carregabenfica(5)

chalana(2)

chalana e aimar(1)

chama imensa(1)

champions league(1)

chapa 4(1)

chorem menos(1)

classe(1)

clássico(1)

classico(1)

clube satélite(1)

confiança(1)

contratações(15)

corram mais(1)

corrupção(1)

cortez(1)

crime organizado(1)

cultura benfiquista(1)

d. eusébio(1)

djaló(2)

eleições(4)

eusébio(2)

fcporto(3)

fruta(6)

fruta e café com leite(5)

funes mori(2)

futebol(2)

futsal(7)

gaitan(5)

garay(2)

glorioso(9)

hóquei em patins(2)

ivan cavaleiro(3)

jj(7)

jorge jesus(23)

josé veiga(2)

lfv(6)

liga(6)

liga dos campeões(14)

luís filipe vieira(9)

luisão(2)

matic(3)

melgarejo(2)

mercado de transferências(3)

modalidades(3)

nelson oliveira(15)

olivedesportos(3)

pedro proença(3)

plantel(2)

portugal(2)

povo(2)

proença(3)

rangel(2)

razões para ser do benfica(5)

rodrigo(6)

rui costa(4)

selecção(2)

somos grandes(3)

sporting(10)

ucl(2)

ultras(4)

vai-te embora que não deixas saudades(5)

yannick djaló(2)

todas as tags

blogs SAPO
Subscrever feeds