Segunda-feira, 31 de Agosto de 2015
Futebol dos anos 80
por Nuno Gonçalo Poças, Seg 31/Ago/15
Há quem diga que temos de ter calma. Que nos anos anteriores jogávamos "à Jorge Jesus" e que agora temos de nos habituar a jogar "à Rui Vitória". O problema é exactamente esse: eu não quero jogar "à Rui Vitória". Para ver equipas a jogar "à Rui Vitória" tenho a RTP Memória.
gloriosamente escrito por Nuno Gonçalo Poças
link do post | chutar para golo | ver comentários (2)
Quarta-feira, 26 de Agosto de 2015
Jogos que não se esquecem
por Nuno Gonçalo Poças, Qua 26/Ago/15
Há jogos que nos ficam na memória. Uns por bons, outros por maus motivos. O 3-6 em Alvalade, por exemplo, foi um jogo que decorei. Gravado num VHS, foi visto várias vezes, vários dias - às vezes até enquanto almoçava, às vezes num furo na escola. A final da Taça de Portugal de 1993 é outro desses jogos. Tinha 7 anos, quase 8, e ainda hoje sei o 11 inicial de olhos fechados: Neno, Veloso, Mozer, William, Schwarz, Paulo Sousa, Vítor Paneira, Futre, Rui Costa, João Pinto e Rui Águas. No banco, Silvino, Hélder e Isaías (que entrariam na segunda parte) e, se não me falha a memória, Kulkov e Yuran.
O campeonato estava perdido para o Porto, num ano em que tínhamos melhor plantel. O Verão Quente de 1993 estava para chegar. Paulo Sousa e Pacheco rumariam ao Sporting. João Pinto esteve por um fio. Mas ainda havia a final da Taça para jogar, contra um Boavistão brilhantemente treinado (segundo os padrões dos anos 90) por Manuel José. Rui Bento, Artur, Marlon Brandão. E a puta Lemajic na baliza.
Nesta altura, reza a lenda, o Toni chegava ao balneário, indicava o 11 titular e dizia-lhes "vão lá para dentro e joguem o que sabem". Era uma equipa de sonho. A melhor que se lhe seguiu surgiu no ano 2013/2014.
E eles foram lá para dentro e jogaram o que sabiam.
O Rui Águas baixa para tabelar com Paneira. Paneira toca na linha para João Pinto que devolve a Paneira e tiram adversários do caminho. Paneira adianta e toca curto em Águas. Águas com o calcanhar devolve adiantado para Paneira e tira 3 defesas do Boavista do caminho. Paneira fica isolado em frente ao guarda-redes e, com um toque simples, sublime, de génio, mete a bola na rede. Salta os painéis da publicidade, beija a camisola e levanta os braços para a multidão encarnada eufórica nas bancadas. Os modernos diriam que aquilo era tiki-taka. É de génio.
A história continua. Rui Costa mete a bola na vertical em Águas que, mais uma vez, baixou para tabelar e devolver a Rui Costa. Os adversários ficavam sempre pelo caminho. Tabelas, passes curtos, carrossel. Um boavisteiro de carrinho corta a bola, que vai parar à canhota de Paulo Futre. Um, dois boavisteiros no chão, cruzamento. João Pinto, na pequena área, salta, deita o corpo na horizontal, puxa a cabeça atrás e mete a bola num canto da baliza.
A esta hora abandonávamos o café onde víamos o jogo. Queríamos ir para o alcatrão jogar à Benfica. Queríamos ser o Futre, o Paulo Sousa, o Paneira, o João Pinto.
Rui Águas cabeceia contra Lemajic e falha o 3-0. Futre cruza atrasado, mas Lemajic segura e Schwarz chega atrasado. Era uma avalanche.
Mas Mozer tem um deslize e deixa o caminho aberto para Marlon Brandão, o melhor do Boavista, que reduz para 2-1. Vamos assim para o intervalo. Nós continuávamos a fintar as pedras, a rematar contra o gordo. Eu era o único canhoto, mas o mais pequeno e o mais desajeitado. Podia ser o Futre, em teoria, mas na prática mal seria um William. O jogo recomeça.
Está moribundo, adormecido. Mas Rui Águas recupera uma bola rapidamente e adianta num ápice para Paulo Futre que corre, corre, e dispara um tiro para o canto da baliza de Lemajic. "Inchem, cabrões". Os putos lagartos lá da rua aturavam-nos. Não eram todos fintados no asfalto, mas na televisão o Maior estava a dar uma tareia no Boavista, o Sporting não prestava e nós enchíamos o peito de amor e orgulho no Benfica.
Entretanto, o Alfredo vai para o balneário, depois da expulsão. Foi nesse dia que aprendi que os jogadores suplentes também podiam ser expulsos. Nunca mais me esqueci.
Canto para o Boavista. O Neno sempre foi mau nas bolas paradas. Tavares, um cepo que viria a vestir a camisola mais bonita do mundo, empurra-a lá para dentro. 3-2. Merda.
Volta o carrossel. O Benfica monta a tenda no meio campo do Boavista e Futre cava um penalty. William falha. Marlon Brandão marca um livre perigoso, mas Neno responde com uma boa defesa. Continuamos encaminhados. Quando um falha, logo outro se levanta. E eis que Paulo Sousa mete a bola na área e Futre empurra lá para dentro. 4-2 e ainda não ficava ali.
Ainda havia tempo para Rui Costa dar um baile a 3 adversários e levar uma canelada. Livre para o Benfica. Schwarz remata, a bola vai ao poste e ressalta para os pés de Rui Águas. 5-2 final.
Pouco depois Veiga Trigo apitava para o final da partida. O Benfica conquistava a Taça de Portugal, fazia uma exibição esmagadora e preparava-se para um Verão trágico e para o início do fim de décadas gloriosas.
Há jogos que não nos saem da cabeça. A final da Taça de 1993 é só um deles.
gloriosamente escrito por Nuno Gonçalo Poças
link do post | chutar para golo | ver comentários (2)
Os Gloriosos
Últ. comentários
Comigo foi aqui mais pertinho! Estavamos em Agosto...
Comigo, foi em Los Angeles. Pergunta habitual do m...
Há 28 anos, estava eu no metro em Budapeste quando...
Sou sócio do Benfica e o Benfica é a minha associa...
A fase "Rui Vitória" há-de ter melhores dias. Já t...
BLOGCOUNTER
Pesquisar
 
Posts recentes

Muy grandioso

Futebol dos anos 80

Jogos que não se esquecem

1988: Benfica a preto-e-b...

Inferioridade numérica

Arquivo

Setembro 2015

Agosto 2015

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Outubro 2008

Ligações
Mais comentados
20 comentários
19 comentários
16 comentários
16 comentários
Tags

a noite do oscar(1)

a um quinto do preço a que foi vendido o(1)

acidente(1)

adeptos(1)

aimar(3)

aimar; ópera; mozart; flauta mágica;(1)

alá é grande(1)

álvaro(1)

andrades(3)

andré almeida(1)

andré gomes(5)

aniversário(1)

anti-adepto(1)

antifa(1)

arbitragem(6)

assim se vê a grandeza do slb(1)

atletismo(2)

barcelona(1)

basquetebol(1)

benfica(56)

benfica tv(1)

benfica-porto(3)

benficácia(1)

bento(3)

bernardo silva(1)

biografia(1)

bloqueio(1)

bruno alves(1)

cada religião tem a sua catedral(19)

calimero(4)

campeão(2)

capdevila(2)

cardozo(7)

carlos manuel(2)

carrega(1)

carrega benfica(3)

carrega benfica; nós só queremos benfica(1)

carregabenfica(5)

chalana(2)

chalana e aimar(1)

chama imensa(1)

champions league(1)

chapa 4(1)

chorem menos(1)

classe(1)

clássico(1)

classico(1)

clube satélite(1)

confiança(1)

contratações(15)

corram mais(1)

corrupção(1)

cortez(1)

crime organizado(1)

cultura benfiquista(1)

d. eusébio(1)

djaló(2)

eleições(4)

eusébio(2)

fcporto(3)

fruta(6)

fruta e café com leite(5)

funes mori(2)

futebol(2)

futsal(7)

gaitan(5)

garay(2)

glorioso(9)

hóquei em patins(2)

ivan cavaleiro(3)

jj(7)

jorge jesus(23)

josé veiga(2)

lfv(6)

liga(6)

liga dos campeões(14)

luís filipe vieira(9)

luisão(2)

matic(3)

melgarejo(2)

mercado de transferências(3)

modalidades(3)

nelson oliveira(15)

olivedesportos(3)

pedro proença(3)

plantel(2)

portugal(2)

povo(2)

proença(3)

rangel(2)

razões para ser do benfica(5)

rodrigo(6)

rui costa(4)

selecção(2)

somos grandes(3)

sporting(10)

ucl(2)

ultras(4)

vai-te embora que não deixas saudades(5)

yannick djaló(2)

todas as tags

blogs SAPO
Subscrever feeds