Sexta-feira, 2 de Maio de 2014
Inferioridade numérica
por Lourenço Cordeiro, Sex 02/Mai/14

Quando o Luisão fez o quarto golo, aos sete minutos do prolongamento, desempatando a quarta eliminatória da Taça de Portugal com o Sporting - naquele que foi um dos jogos do ano - festejei como não tinha festejado o hat-trick de Cardozo. Não festejei tão efusivamente como gostaria porque estava num jantar rodeado de amigos do Sporting, que tinham na minha alegria a sua tristeza simétrica. Mas quando o jogo acabou, e após ter-se gerado o consenso à mesa de que tínhamos acabado de ver um jogo enorme e que qualquer das equipas teria dado um vencedor justo, não pude deixar de exaltar o Luisão: ali estava o capitão, um jogador que já tinha conquistado o seu lugar na galeria dos notáveis da história do Benfica, alguém que, como nós, e apesar de ter nascido em Amparo, São Paulo, era um benfiquista de coração.

«Não me atires poeira para os olhos», ouvi, subitamente. À mesa também estava um adepto do Porto que, com aquela soberba que caracterizou os adeptos do Porto até há três semanas, continuou: «O Luisão só está no Benfica porque ninguém o quer.» Uma pessoa sente-se, pois claro que se sente, e não fui capaz de deixar aquela enormidade em claro. Contra todas as regras da elementar etiqueta, tentei defender o contrário: que não, não senhora, o Luisão está no Benfica porque o Benfica é o melhor clube do mundo e o Luisão o melhor central do mundo. Mas ele ficou na dele, provavelmente dizendo que o Maicon era melhor que o Luisão, e eu fiquei na minha.
Claro que o Luisão não é o melhor central do mundo: o melhor central do mundo é o Garay. Mas o Luisão não é só um grande defesa-central: é um líder. E os líderes caracterizam-se por uma coisa: são melhores que nós. O Luisão é-nos moralmente superior, não lhe devemos nada a não ser pura vassalagem. 
Pensei muito naquela discussão sobre o Luisão no final do jogo de ontem. E julgo que Jorge Jesus também terá pensado muito em Luisão quando fez uma homenagem aos «jogadores» que o acompanham há cinco anos: sim, há Cardozo, Maxi Pereira e Rúben Amorim, mas era para Luisão que Jorge Jesus falava. Porque ontem não foi apenas o líder do grupo mas também o melhor em campo, fazendo uma exibição perfeita, transbordando uma confiança que contagiou Oblak, Garay, Siqueira e Amorim, por exemplo.
Nunca me esquecerei do jogo de ontem: uma lição de bem defender em casa da Nujentus, no estádio mais temido do futebol italiano. Nunca me esquecerei da exibição do Luisão, que ontem jogou pelo Enzo, pelo Garay, pelo David Luiz, pelo Javi Garcia, pelo Aimar, pelo Di Maria, pelo Rui Costa, pelo Simão, pelo Paneira, pelo Isaías, pelo Mozer, pelo Ricardo Gomes, pelo Valdo, pelo Chalana, pelo Shéu, pelo Simões, pelo Coluna, pelo Eusébio. Por todos nós.
Não interessa se jogamos com 11, com 10, com 9, ou com oito e meio, como foi o caso de ontem (Sálvio jogou com o braço ligado); desde que o Luisão esteja em campo, não interessa com quantos jogamos: o adversário estará sempre, mas sempre, em inferioridade numérica.
gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo
Terça-feira, 7 de Janeiro de 2014
Orfandade
por Lourenço Cordeiro, Ter 07/Jan/14

Portugal perdeu um símbolo, o mundo perdeu um ícone, o futebol perdeu uma lenda, mas o Sport Lisboa e Benfica perdeu uma grande parte do currículo. Os 15 anos de Eusébio no Benfica foram os melhores 15 anos da história do clube, com cinco - cinco - finais europeias. Depois de 1975 só a espaços o Benfica se aproximou do que fora nos "anos sessenta": sim, houve Chalana, o pequeno genial que merecia um palmarés melhor, e sobretudo Eriksson - que, directamente ou através do avatar Toni, conseguiu mais duas finais europeias. De Eriksson para cá a história fica ainda mais negra: há 30 anos que o Benfica não é campeão nacional em épocas consecutivas (só este deserto justifica a notoriedade alcançada por Jorge Jesus: um campeonato e uma final da UEFA em quatro anos). Por isso, a morte de Eusébio - ou "Eusébio da Silva Ferreira", como agora lhe chamam - é a morte de uma ideia que vivia nas suas costas, a ideia de um Benfica "grandioso". Acabou. Agora sobramos nós, os órfãos, com tudo para fazer pela frente.

gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo
Sexta-feira, 23 de Agosto de 2013
15-0
por Lourenço Cordeiro, Sex 23/Ago/13

Ganhar ao Gil Vicente em casa não chega para que a confiança seja reposta. É preciso ganhar por muitos e jogar para ganhar por muitos. É preciso que volte o Jorge Jesus que berrava na linha lateral para o Di Maria, aos 83 minutos, com 5-0 no marcador. E é importantíssimo não sofrer golos. Só uma goleada ao Gil Vicente e uma vitória em Alvalade poderão corrigir a falsa partida que o Benfica fez no campeonato.

gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo
Segunda-feira, 19 de Agosto de 2013
«Funes Mori»
por Lourenço Cordeiro, Seg 19/Ago/13

Jorge Jesus é um homem orgulhoso e receoso. O problema é que o receio tem razão de ser e o orgulho não. Fortemente criticado no final da época passada (que, na sua cabeça, traduziu-se em fracasso apenas devido ao «azar»), Jesus parece empenhado em confrontar directamente os seus críticos não mudando nada. O seu objectivo é levar o Benfica ao sucesso mas admitindo apenas um caminho: o seu. Quer ganhar, mas quer sobretudo que lhe dêem razão. É este o seu orgulho, e é devido a ele que a sua passagem pelo Benfica irá terminar com uma saída pela porta pequena. Jesus não tem a flexibilidade mental necessária para se manter num clube por muitos anos, à boa maneira inglesa. É um homem convencido de que é na «táctica» e na «estratégia» que reside o segredo de uma equipa de futebol de sucesso, que é um equívoco enorme. Sem a adesão incondicional do balneário não há quatro um três dois que resista, e o balneário do Benfica há muito que deixou de estar com Jesus. Entrentanto, parece que vem aí um «Funes Mori». 

gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo | ver comentários (1)
Segunda-feira, 12 de Agosto de 2013
Benfica 2013/2014
por Lourenço Cordeiro, Seg 12/Ago/13

Não se pode esperar muito de uma equipa (e de uma direcção) que está convencida de que resolveu o problema do defesa-esquerdo com a contratação de "Cortez". Aliás, todas as decisões que o Benfica tem tomado nesta pré-época são semelhantes à escolha para defesa-esquerdo de "Cortez", ainda que usar na mesma frase «defesa» e «"Cortez"» pareça esquisito. À excepção dos dois sérvios-maravilha, os miúdos Markovic Vieira Pinto e Zlatko Djuricic, pese embora o facto de ter sido necessário contratar 5 sérvios para acertar em 2. 

 

Mas pronto, pensemos positivo, vai correr tudo bem.

 

Já agora, que tal reeditar a formação táctica do Benfica campeão de 2009/2010, tendo em conta que Sálvio deverá sair?

 

 

                                           Artur

                                  (A fazer de Quim)

 

 

                     Luisão                                 Garay

          (A fazer de Luisão)            (A fazer de David Luiz)

 

 

         Maxi                                                                    Melgarejo

(A fazer de Maxi)                                                 (A fazer de Coentrão)

 

                                           Matic

                               (A fazer de Javi Garcia)

          

             Enzo                                                    Gaitán

  (A fazer de Ramires)                             (A fazer de Di Maria)

 

 

                                            Djuricic

                                    (A fazer de Aimar)

 

 

                        Markovic

                (A fazer de Saviola)                                  

                                                             Lima

                                                  (A fazer de Cardozo)

gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo | ver comentários (2)
Terça-feira, 14 de Maio de 2013
Renovar com Jesus
por Lourenço Cordeiro, Ter 14/Mai/13

Este texto tem de ser escrito agora, ainda durante o período de convalescença do jogo do Dragão e antes de sabermos o resultado da final de amanhã, porque me parece que a avaliação que os benfiquistas andam a fazer de Jorge Jesus está injustamente dependente daquele golo. Se aquele golo não tivesse acontecido - e este é um cenário que encontra naquilo que se passou durante dos 90 minutos anteriores uma base suficientemente sólida para que o levemos a sério - a entrada do Roderick aos 71 minutos seria esquecida para todo o sempre. Jesus teve azar. Ficou a três minutos de ser consagrado como o mestre da táctica, como o treinador que anulou o Porto no Dragão. O Porto, lembremos, que não perde para o campeonato há 71 jogos. Convém lembrar contra quem - e o quê - lutamos todos os anos.

 

Vale a pena, por isso, olhar para os números destas quatro épocas de Jesus, e compará-las, por exemplo, com as quatro épocas anteriores do Benfica.

 

2009 / 2010 - Campeão, com 4 empates e 2 derrotas. 78 golos marcados, 20 sofridos.

2010 / 2011 - 2º classificado, com 3 empates e 7 derrotas. 61 golos marcados, 31 sofridos.

2011 / 2012 - 2º classificado, com 6 empates e 3 derrotas. 66 golos marcados, 27 sofridos.

2012 / 2013 - Pior cenário: 2º classificado, com 5 empates e 1 derrota. 74 golos marcados, 19 sofridos.

 

A isto soma-se uma meia-final da Liga Europa (perdida para o Braga, na época horribilis 2010/2011), uns quartos-de-final da Liga dos Campeões, e uma final da Liga Europa (primeira final europeia desde 1991).

 

Antes de Jesus chegar, as coisas corriam deste modo ao Benfica:

 

2008 / 2009 - 3º classificado, com 8 empates e 5 derrotas. 54 golos marcados, 32 sofridos.

2007 / 2008 - 4º classificado, com 13 empates e 4 derrotas. 45 golos marcados, 21 sofridos.

2006 / 2007 - 3º classificado, com 7 empates e 3 derrotas. 55 golos marcados, 20 sofridos.

2005 / 2006 - 3º classificado, com 7 empates e 7 derrotas. 51 golos marcados, 29 sofridos.

 

Ou seja: com Jesus, o rendimento do Benfica subiu visivelmente. Melhorou também, e de que maneira, o futebol que a equipa joga. Com Jesus, as vendas principais de jogadores totalizaram 175 milhões de euros (David Luiz, Ramires, Di Maria, Fábio Coentrão, Javi Garcia e Witsel). E mesmo a época horrível de 2010 / 2011, com 3 derrotas nas primeiras 4 jornadas do campeonato, não se compara com o Benfica que Jesus herdou. Acreditar que a substituição de Jesus irá contribuir para que o Benfica melhore os resultados desportivos não é razoável.

 

Percebo a frustração de muitos, que também é a minha. Ficar tão perto de ganhar tanta coisa sem o concretizar custa. Mas eu não quero voltar a ter um Benfica que deixa de despertar qualquer tipo de emoção em Novembro. Não quero voltar a precisar das derrotas dos outros para ter algum bálsamo desportivo. Não quero voltar a fazer as figuras que fez ontem, por exemplo, Eduardo Barroso na televisão, enquanto salivava com a perspectiva de o Benfica não ganhar nada esta época. Porque há uma coisa que eu sei: essa gente quer Jesus fora do Benfica o quanto antes. Como eu os percebo. É gente com memória.

 

 

 

 

 

gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo | ver comentários (11)
Quarta-feira, 8 de Maio de 2013
Fazer de conta
por Lourenço Cordeiro, Qua 08/Mai/13
Estamos aqui a fazer de conta de que há a possibilidade de o árbitro para sábado não ser o Pedro Proença, não é?
gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo | ver comentários (1)
Segunda-feira, 18 de Março de 2013
Quatro
por Lourenço Cordeiro, Seg 18/Mar/13
Quatro. Não são os quatro golos, nem sem os quatro pontos: foram quatro os foras-de-jogo mal tirados ao Benfica durante a primeira parte. Quatro: quatro lances "em linha" que o bandeirinha ajuízou mal; quatro lances em que o bandeirinha, na dúvida, matou a jogada. É um critério. Na liga inglesa, a liga mais vista no mundo, o critério é o inverso: entre estar um pintelho em jogo, ou um pintelho em fora-de-jogo, considera-se sempre que o jogador está um pintelho em jogo. No fim do ano, há mais golos legais, e há mais golos ilegais (por um pintelho). Por cá, preferimos que haja menos golos legais e menos golos ilegais (por um pintelho). O "espectáculo" que se foda.
gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo | ver comentários (4)
Segunda-feira, 14 de Janeiro de 2013
Resumo
por Lourenço Cordeiro, Seg 14/Jan/13
O Porto jogou melhor: criou zero ocasiões de golo, contra três do Benfica (uma deu o golo do campeonato - fechem as votações-, outra foi uma bela jogada, e a última bateu no poste). E parece que finalmente Vítor Pereira veio retratar-se do golo do Maicon da época passada (aquela conversa sobre foras-de-jogo era isso, não era?)
gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo
Segunda-feira, 19 de Novembro de 2012
Ai precisamos de um médio centro?
por Lourenço Cordeiro, Seg 19/Nov/12

gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo | ver comentários (3)
Quinta-feira, 25 de Outubro de 2012
Péssima ideia
por Lourenço Cordeiro, Qui 25/Out/12

Luís Filipe Vieira pretende centralizar direitos televisivos na Benfica TV

 

Seremos então obrigados a ver o jogos narrados directamente da tasca, como acontece hoje?

gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo | ver comentários (2)
Pois tínhamos
por Lourenço Cordeiro, Qui 25/Out/12

«Temos de ganhar três campeonatos e chegar a uma final europeia em quatro anos»

 

Luís Filipe Vieira

gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo
Quarta-feira, 24 de Outubro de 2012
Tirar o chapéu
por Lourenço Cordeiro, Qua 24/Out/12

É sempre assim: vai-se lá buscar um gajo, e eles arranjam logo outro melhor, sabe-se lá vindo de onde, a um quinto do preço a que foi vendido o jogador original. O último episódio passou-se com Lima. Lima é um grande jogador - os golos que já leva esta época pelo Benfica mostram isso - mas tem 29 anos, isto é, já pisou a linha do seu potencial máximo. Vai daí, vende-se o Lima ao Benfica por quatro milhões e meio de euros e vai-se buscar o Ederzito à Académica a custo zero. Zero. Z-e-r-o. Nicles. De borla. 24 anos de jogador, a semanas de distância de ser o titular da selecção nacional. Há que tirar o chapéu a António Salvador. E ao Ederzito, que ontem inventou sozinho o segundo golo do Braga e os terrores nocturnos de Michael Carrick.


P.S.: Não vi o jogo do Benfica, mas pelo que percebi correu bem: vamos chegar a Dezembro já eliminados na Champions, um desejo que Jorge Jesus nunca conseguiu esconder. Agora não há desculpas para o campeonato.

gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo
Segunda-feira, 1 de Outubro de 2012
«O Coentrão saiu pelo dobro do Ronaldo»
por Lourenço Cordeiro, Seg 01/Out/12

gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo | ver comentários (2)
Maicon
por Lourenço Cordeiro, Seg 01/Out/12

Eu também fiquei entusiasmado com a «inteligência» que Maicon aplicou em campo neste fim-de-semana. 

gloriosamente escrito por Lourenço Cordeiro
link do post | chutar para golo | ver comentários (3)

Os Gloriosos
Últ. comentários
Comigo foi aqui mais pertinho! Estavamos em Agosto...
Comigo, foi em Los Angeles. Pergunta habitual do m...
Há 28 anos, estava eu no metro em Budapeste quando...
Sou sócio do Benfica e o Benfica é a minha associa...
A fase "Rui Vitória" há-de ter melhores dias. Já t...
BLOGCOUNTER
Pesquisar
 
Posts recentes

Muy grandioso

Futebol dos anos 80

Jogos que não se esquecem

1988: Benfica a preto-e-b...

Inferioridade numérica

Arquivo

Setembro 2015

Agosto 2015

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Outubro 2008

Ligações
Mais comentados
20 comentários
19 comentários
16 comentários
16 comentários
Tags

a noite do oscar(1)

a um quinto do preço a que foi vendido o(1)

acidente(1)

adeptos(1)

aimar(3)

aimar; ópera; mozart; flauta mágica;(1)

alá é grande(1)

álvaro(1)

andrades(3)

andré almeida(1)

andré gomes(5)

aniversário(1)

anti-adepto(1)

antifa(1)

arbitragem(6)

assim se vê a grandeza do slb(1)

atletismo(2)

barcelona(1)

basquetebol(1)

benfica(56)

benfica tv(1)

benfica-porto(3)

benficácia(1)

bento(3)

bernardo silva(1)

biografia(1)

bloqueio(1)

bruno alves(1)

cada religião tem a sua catedral(19)

calimero(4)

campeão(2)

capdevila(2)

cardozo(7)

carlos manuel(2)

carrega(1)

carrega benfica(3)

carrega benfica; nós só queremos benfica(1)

carregabenfica(5)

chalana(2)

chalana e aimar(1)

chama imensa(1)

champions league(1)

chapa 4(1)

chorem menos(1)

classe(1)

clássico(1)

classico(1)

clube satélite(1)

confiança(1)

contratações(15)

corram mais(1)

corrupção(1)

cortez(1)

crime organizado(1)

cultura benfiquista(1)

d. eusébio(1)

djaló(2)

eleições(4)

eusébio(2)

fcporto(3)

fruta(6)

fruta e café com leite(5)

funes mori(2)

futebol(2)

futsal(7)

gaitan(5)

garay(2)

glorioso(9)

hóquei em patins(2)

ivan cavaleiro(3)

jj(7)

jorge jesus(23)

josé veiga(2)

lfv(6)

liga(6)

liga dos campeões(14)

luís filipe vieira(9)

luisão(2)

matic(3)

melgarejo(2)

mercado de transferências(3)

modalidades(3)

nelson oliveira(15)

olivedesportos(3)

pedro proença(3)

plantel(2)

portugal(2)

povo(2)

proença(3)

rangel(2)

razões para ser do benfica(5)

rodrigo(6)

rui costa(4)

selecção(2)

somos grandes(3)

sporting(10)

ucl(2)

ultras(4)

vai-te embora que não deixas saudades(5)

yannick djaló(2)

todas as tags

blogs SAPO
Subscrever feeds