Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Catedral da Luz

Catedral da Luz

Fechou o mercado de transferências

01.09.12, Filipe Boto Machado

Finalmente, o mercado de transferências fechou. Tal como era de esperar, em Portugal e no resto da Europa, foram nos últimos dias que se verificaram mais movimentações. Para o Benfica, os últimos dias foram muito agitados, com muitas más e poucas boas notícias:

- Comecemos pelas boas notícias. Conseguimos convencer alguém a contratar Emerson e ainda recebemos uns trocos com isso. Despachámos o Yannick, apenas por empréstimo, mas, pelo menos, não fica cá a ganhar o dele ao fim do mês sem sequer ser convocado. Não vendemos Witsel, Cardozo e Garay.

- Agora as más. Não conseguimos garantir a permanência de Javi García e não contratámos ninguém para o substituir. A aposta em Matic é arriscada. Não sei até que ponto Witsel não vai ser a solução para a posição 6, o que será um verdadeiro desperdício. Perdemos um fantástico jogador como Saviola e fomos contratar Lima por uma “pipa de massa”. Na minha opinião, por 4,5M€ + um jogador acabadinho de chegar (e não veio de borla), arranjava-se melhor. É bom jogador, mas parece-me demasiado dinheiro por um suplente do Cardozo que nunca dará retorno financeiro ao clube (já tem 29 anos, menos um ano do que a idade onde em Portugal um jogador está velho). Esperemos que o retorno desportivo compense o investimento. Não contratámos um raio de um lateral esquerdo e a alternativa ao Maxi é um miúdo de 18 anos que, pelo que já vi dele, embora revele potencial, também apresenta uma enorme falta de maturidade nas suas atitudes.

 

Foi mais um defeso agitado para os nossos lados. No dia 4 de Junho falei de uma overdose de extremos, numa primeira abordagem à forma como estava a ser construído o plantel do Benfica. No dia 23 de Julho voltei a falar sobre esta temática, referindo o quão desequilibrado estava o plantel. Não gostava de ter tido razão, mas era difícil não prever este desenlace.

Pelo terceiro ano consecutivo, o Benfica investiu significativamente, LVF terá feito mais um esforço financeiro enorme para responder aos pedidos de JJ, que mais uma vez constrói um plantel com muita qualidade, mas muito desequilibrado. Conseguimos ter o melhor jogador do campeonato em várias posições, do meio campo para a frente temos alternativas muito boas aos titulares, no entanto, nas cinco posições mais defensivas do 11 (excluindo desta análise o guarda-redes), i.e. defesas centrais, laterais e médio defensivo, temos 8 jogadores. É verdade, para enfrentar uma época exigente, o Benfica dispõe de 8 jogadores para 5 posições. Maxi é o único lateral direito. Na esquerda temos o projeto de lateral Melgarejo e um outro que não conta, Luisinho. No meio, aos indiscutíveis Luisão e Garay, somam-se Jardel e Miguel Vitor, muitos níveis abaixo da dupla titular. Para médio-defensivo sobra-nos apenas Matic. Do meio campo para a frente, viva a abundância. Temos, neste momento, 7 jogadores para jogarem nas alas (Salvio, Enzo, Nolito, Gaitán, Ola John, Bruno César e Melgarejo) e 4 avançados (Cardozo, Rodrigo, Lima e Kardec). No máximo para 4 lugares (quando jogarmos com 3 no meio-campo, serão apenas 3 lugares), o Benfica conta com 11 opções! Os números não mentem. Temos um plantel com 25 jogadores, 3 deles são guarda-redes, o que significa que 11 jogadores, metade do nosso plantel de jogadores de campo, são opções para 3/4 lugares do onze.

Disse nos posts já referidos que iríamos comprovar como muitos destes jogadores iriam ser emprestados, alguns deles pela Xª vez consecutiva, e o plantel acabaria muito desequilibrado. Fechou o mercado e isso pode-se comprovar. Contratamos para emprestar. Hugo Vieira, Yannick, Jara e Mora foram emprestados. Contratados nos últimos três anos, todos eles têm em comum o seguinte: foram contratados, jogaram pouco e foram de imediato emprestados, alguns de forma sucessiva. Nesta lista falta ainda Urreta, que desapareceu de cena, e o intrigante caso de Michel, contratado há dois meses para enviar para Braga, sem ter feito pouco mais do que 45 minutos num amigável contra a Juventus.

Apesar do desequilíbrio do plantel, acredito que é possível fazer uma boa época. Se tivermos sorte com as lesões na defesa, o catedrático não inventar em demasia e não treinar a equipa para atingir um pico de forma em Janeiro e rebentar em Março, acredito que podemos voltar a ser campeões. JJ pode fazer muito disparate, mas, ainda assim, continuamos a ter muitos bons jogadores no Benfica, capazes de fazer a equipa resistir a este kamikaze de cabelo branco. De resto, se nós temos o JJ, o Porto tem o Vitinho. Por aí, a coisa está relativamente equilibrada. Com o dinheiro gasto, poderíamos estar melhor preparados para responder à temporada da fruta, mas, ainda assim, há jogadores para ter uma época de sucesso. Se estiver demasiado otimista, talvez seja o benfiquismo que não me permite desanimar tão cedo.

1 comentário

Comentar post