Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Catedral da Luz

Catedral da Luz

Sempre que o nível sobe o Benfica tropeça

24.10.12, Filipe Boto Machado

Foi assim ontem. Já tinha sido assim com o Braga para o campeonato, o Barcelona e o Celtic para a Champions. Vê-se bem que assim não vamos lá. Quando o nível sobe, não basta atacar bem e em quantidade. É preciso mais que isso. As fragilidades são evidentes. Jardel? Matic como número 6? Enzo como número 8? Parece que estamos assim porque não tínhamos condições para estar de outro modo, mas gastámos mais de 25M€ neste defeso e só contratámos avançados e extremos (Salvio, Ola John e Lima). Venham agora os defensores do catedrático dizer que o pessoal se precipitou em referir que tínhamos extremos a mais, meio-campo a menos e nenhum lateral esquerdo. O Benfica pratica neste momento o futebol que praticava há dois anos. No mínimo cinco jogadores atacam e no máximo cinco jogadores defendem. Não há meio-campo para pressionar, recuperar a bola e construir jogo de forma pensada. Não há jogadores para isso e parece que o treinador está confortável com o modelo de jogo. Na Champions, como se esperava, as coisas não estão a correr bem porque ninguém joga assim nesta competição, pelo menos fora de casa. Ainda podemos passar? Sim, precisamos ganhar os dois jogos em casa e esperar que o Barcelona vença em Glasgow e Moscovo, mas isso não apaga o desempenho sofrível no jogo de ontem nem nos anteriores.

Paga o Benfica a JJ um dos 20 maiores salários pagos no Mundo a um treinador de futebol e ele tem o desplante de ir jogar uma partida decisiva fora sem meio-campo. Não pressionamos e só construímos pelas alas. Parece o tipo do café a treinar o Benfica: "vamos todos para a frente que isto há-de correr bem porque quero é ver o Benfica a golear". Já tinha visto isto há dois anos com o Lyon e Schalke. Na época passada mudou um pouco a aborgagem, mas aparentemente foi apenas temporário. Voltámos a este modelo de jogo estranho. Apenas metade da equipa defende, perdemos o meio-campo sempre que o adversário colocar três jogadores no meio e pressiona o Benfica na saída de bola. No entanto, ele acredita que tudo há-de correr bem.

A defesa titular de ontem custou 12M€ (Maxi 4M€, Garay 6M€, Jardel 1M€ e Melgarejo 1M€), o meio campo requereu um investimento de 30M€ (Salvio 13M€, Enzo 5,5M€, Matic 5M€ e Bruno César 6M€) e o ataque custou outros 10M€ (Rodrigo 6M€ e Lima 4M€). Do banco vieram mais 28M€ (Gaitan 8,4M€, Cardozo 11M€ e Ola John 9M€). 80M€ não chega para fazer uma equipa que faça melhor figura na Liga dos Campeões? 80M€ não chegam para ter um onze equilibrado em campo? Muitos outros treinadores que estiveram no Benfica no passado gostariam de ter tido semelhante investimento na equipa de futebol, mas tinham que se contentar com muito menos. Dá-se nozes a quem não tem dentes...

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.