Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Catedral da Luz

Catedral da Luz

Está a chegar a hora da verdade

26.11.12, Filipe Boto Machado

O Bruno Vieira Amaral escreveu, e bem, sobre o desentusiamo existente e identificou as razões para o mesmo. Eu acredito que muitos benfiquistas têm vontade de se voltarem a entusiasmar, mas manda a história recente que sejam mais prudentes.  Mais do que desentusiasmados, estamos desconfiados. Precisamos que a equipa nos mostre algo mais na hora da verdade. Até agora a época não foi fantástica, pois só um milagre nos permitirá seguir na Champions, mas também não tem sido negativa, pois internamente estamos na luta pelo título e mantemo-nos na Taça de Portugal. No entanto, do meu ponto de vista, está a chegar a hora da verdade, os jogos em que se vê a fibra dos campeões. É nestes jogos que todos vamos perceber se temos capacidade para lá chegar. Em meados de Janeiro estaremos entusiasmados ou irremediavelmente desentusiasmados.

A 10ª (visita a Alvalade) e 14ª (recepção ao Porto) jornadas serão importantes e decisivas para a luta pelo título. Em campeonatos equilibrados, os jogos grandes são aqueles que desequilibram a balança, não só pelos 6 pontos que representam (3 ganhos + 3 retirados ao adversário) como também pela carga emocional que representam. Quando fomos campeões, em 09/10, fizemos 10 pontos no campeonato Benfica/Porto/Sporting/Braga: com o Sporting vencemos em casa e empatámos fora; com Porto e Braga, perdemos fora e ganhámos em casa. A vitória frente ao Porto em casa acabou por ser decisiva para cavar um fosso, afastá-los do título e arrancarmos rumo à vitória. Nesse ano, apenas o Braga fez melhor, 12 pontos. Porto fez 9 pontos e Sporting apenas 4. Em 10/11, perdemos com o Porto duas vezes, vencemos o Sporting duas vezes, ganhámos na Luz ao Braga mas perdemos quando nos deslocámos à pedreira. A derrota no Dragão marcou o campeonato. A derrota em Braga acabou com o campeonato. Fizemos 9 pontos contra 16 do Porto, 7 do Sporting e apenas 3 do Braga. Em 11/12, no ano passado, empatámos no Porto e em Braga, vencemos o Braga e o Sporting na Luz, perdemos em Alvalade e na recepção ao Porto. Como todos sabem, a derrota na Luz frente ao Porto foi decisiva para a luta pelo título. A derrota em Alvalade acabou definitivamente com as nossas esperanças. Fizemos 7 pontos contra 14 do Porto, 4 do Braga e 7 do Sporting. A avaliação deste campeonato a quatro diz-nos muito sobre a classificação final. Pode não ser tudo, mas é muito importante. Por exemplo, é curioso verificar que o Porto não foi campeão quando não ganhou em Braga e na Luz, que o Benfica só foi campeão quando venceu o Porto na Luz e o Braga só lutou verdadeiramente pelo título quando teve um bom desempenho nestes jogos grandes (no ano passado, as derrotas na Luz e na recepção ao Porto acabaram com as esperanças do Braga).

Este campeonato está muito desequilibrado a favor de Benfica e Porto. As restantes equipas estão muito fracas. Marítimo, Nacional e Guimarães não são as equipas competitivas de outrora. Este ano perder pontos contra os pequenos será mais resultado de incompetência de Porto ou Benfica e não das dificuldades que as outras equipas colocam. Acredito que os jogos entre as principais equipas serão decisivos para as contas finais e para embalar alguma das equipas para o título. Tudo começa já na próxima jornada quando visitarmos o outro lado da 2ª Circular onde poucos têm perdido pontos este ano. Temos de ganhar. A vitória do Porto ontem em Braga a isso nos obriga. Empatar não chega e terá sabor a derrota. Quero chegar ao dia 13 de Janeiro em posição de recebermos o Porto e nesse jogo podermos passar para a frente do campeonato.

Julgo que são vitórias nestes jogos que nos poderão devolver o entusiasmo sem reservas. O ano passado mostrou-nos que não interessa como começa, mas sim como acaba. Temos de ser fortes e consistentes. Este ano ainda não vimos nada que nos garanta isso. Pelo contrário, na Champions até tivemos alguns sinais contrários. Temos de cumprir a nossa obrigação frente às equipas mais pequenas e desequilibrar o campeonato a nosso favor nos jogos grandes. Alguns estarão a pensar "então e as arbitragens?". Respondo que temos que contar com esse adversário extra. No ano passado foi o Proença que deu um empurrão decisivo, mas nós também nos metemos a jeito quando procurámos o 3-1 desalmadamente com 5/6 jogadores no processo ofensivo e deixámos em campo um perna de pau chamado Emerson. Este ano temos de ser mais fortes. Aqui ao lado, Mourinho só foi campeão quando venceu o Barcelona e os factores extra jogo. A arbitragem tem de ser um adversário com quem temos que ter alguns cuidados especiais, mas temos de vencer estes jogos.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.