Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Catedral da Luz

Catedral da Luz

Fechou o mercado

03.09.13, Filipe Boto Machado

Fechou o mercado para entradas de novos jogadores. Restam Rússia, Turquia e Roménia como origem dos possíveis clubes compradores de algum dos nossos jogadores mais cobiçados. Até agora, não saiu nenhum dos jogadores mais importantes da temporada passada e entraram várias caras novas de qualidade. Investiu-se muito dinheiro e pouco ou nada entrou em troca. Estamos mais fortes, mas também mais endividados. O que não saiu este ano terá de sair no próximo. Não tem como ser de outro modo. No entanto, por enquanto, já que ninguém saiu devíamos aproveitar a overdose de talento que temos no plantel para, no mínimo, sermos campeões.

LFV fez um esforço muito significativo para dar a JJ todos os recursos. Entraram Markovic (10M€), Sulejmani (0€), Djuricic (6M€), Funes Mori (2M€+Mora), Fejsa (4M€), Cortez (emprestado), Sílvio (emprestado) e Siqueira (emprestado). Oblack e Ruben Amorim regressaram de um ano de empréstimo. Além disso, ainda gastámos dinheiro a contratar jogadores para emprestar: Pizzi (troca com Roberto), Fariña (2,5M€) e Lisandro (4M€). Finalmente, contratámos também para encostar: Mitrovic (1M€) não tem onde jogar e está a trabalhar com Carlos Martins (excelente renovação de contrato) e Yannick (grande contratação) na equipa B. Mais coisa menos coisa, o Benfica investiu ~30M€ e encaixou apenas ~8M€ com as vendas de Melgarejo e Nolito.

Desde que fomos campeões, este é o primeiro ano em que alguém convenceu JJ a ter dois jogadores em cada posição. Finalmente! Se Siqueira confirmar as boas referências, temos lateral esquerdo. Maxi na direita, Silvío nos dois lados servem perfeitamente para as encomendas. Cortez não serve para nada. No centro, uma grande dupla de centrais, Garay e Luisão, com alternativas uns bons furos abaixo, Jardel e Steven Vitória. O meio campo conta com os indiscutíveis Matic e Enzo, com a cobertura de Amorim, Fejsa, André Gomes e André Almeida. No meio ofensivo abundam as opções para JJ: a Salvio, Gaitán e Ola John, juntaram-se Markovic, Sulejmani e Djuricic. Na frente, a Lima, Cardozo e Rodrigo, juntou-se ainda, o desejado há mais de dois anos, Funes Mori.

Na minha opinião, temos, de longe, o melhor plantel em Portugal. Conseguimos fazer um onze titular muito bom e temos alternativas no banco que seriam titulares nos nossos adversários. Em Alvalade, por exemplo, Djuricic e Ola John ficaram fora dos convocados porque lá estavam Salvio, Gaitán, Markovic e Sulejmani para as suas posições. Djuricic e Ola John seriam provavelmente titulares nos nossos rivais. Eu, pelo menos, não os trocava por Licá, Varela, Josué, Carrillo, Capel ou Wilson Eduardo. E Urreta, que nem foi inscrito, que utilização teria em qualquer dos nossos rivais? Dá que pensar...

Perante isto, o que nos falta para sermos campeões? Na minha opinião, um treinador competente. Um bom treinador e não um que diz que é bom. Um treinador que não perca o meio campo nos jogos grandes, não viva das individualidades no plano ofensivo, seja capaz de ler o jogo no banco, jogue de acordo com os seus pontos fortes e com os pontos fracos do adversário. Por exemplo, ao contrário do Sporting, não fizemos nada disso no passado sábado. Enquanto que o Sporting explorou as costas dos nossos laterais, com André Martins a juntar-se a Carrillo para explorarem a presença de um "pino" chamado Cortez, nós nunca fomos capazes de explorar as constantes subidas de Jefferson ou Cédric. Perdemos completamente o meio campo, pois jogámos o tempo todo com duas unidades face a três/quatro unidades do Sporting. Vivemos de individualidades, do muito maior talento que temos no plantel. Tem sido por causa destes pormenores, na hora das decisões, que o Benfica tem perdido títulos.

Temos um plantel muito bom e o campeonato a sério ainda está para começar. Vamos esperar que o talento deste plantel suplante a incompetência do treinador e no fim possamos cantar vitória.

1 comentário

Comentar post