Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Catedral da Luz

Catedral da Luz

1991

06.02.12, Lourenço Cordeiro

O curto período de tempo em que tive um serviço de TV que incluía a Benfica TV serviu para acompanhar o campeonato de júniores, ganho nesse ano pelo Sport Lisboa e Benfica. Percebi que os jogos do campeonato nacional de júniores são surpreendentemente maus, se tivermos em conta que grande maioria daqueles jogadores se preparam para a profissionalização, o que ajuda a explicar que muitas das grandes vedetas das camadas jovens nunca venham a provar o seu talento na piscina dos grandes. Mas há excepções. Nesse ano havia dois grandes jogadores na equipa de júniores do Benfica: Danilo (que despachámos para o Parma, numa decisão que ainda hoje estou para perceber) e Nélson Oliveira. Estes dois jogadores - sobretudo o Nélson Oliveira - mostravam, jogo após jogo, uma maturidade muito acima da média que os destacava dos demais. Lembrei-me destes jogos ao ver ontem a exibição do Nélson Oliveira porque a ideia com que ficámos todos foi a mesma: comparado com as exibições inconsequentes de Gaitán, Nolito e Aimar (o Aimar fez o pior jogo desde que chegou ao Benfica), o Nélson Oliveira parecia o Scholes a jogar com o Wellbeck. A única diferença para aqueles jogos da Benfica TV é a sua presença física: a sua evolução nesse aspecto parece a do Figo quando foi para o Barcelona. Nasceu em 1991.

3 comentários

Comentar post