Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Catedral da Luz

Catedral da Luz

O Emerson tem as costas muito largas

28.03.12, Lourenço Cordeiro

O Emerson tem as costas muito largas, é o que vos digo. É o Emerson e os árbitros. Mas a verdade é que ontem viu-se uma equipa cansada e sem ambição (sobretudo numa primeira parte que foi um hino à chatice), agravada por decisões incompreensíveis do treinador, sendo a titularidade de Emerson a menos grave. Se não, vejamos:

 

1. O Witsel - que é o jogador mais importante do Benfica - jogou em três posições diferentes ao longo do jogo, sendo sempre o sacrificado quando foi preciso inventar. O golo do Chelsea aconteceu quando o Witsel foi obrigado a encostar-se à direita, para que o - epá... - Matic pudesse entrar em campo. Trocar o Witsel pelo Matic como número 8 não faz nem contra o Beira-Mar em casa.

2. Se o Rodrigo está em baixo de forma e o é o Nélson Oliveira que tem jogado mais, porque não entrou o Nélson Oliveira? O rendimento do Rodrigo ontem foi nulo.

3. O Gaitán rende mais na esquerda, por onde andou 20 minutos no total, se tanto. E ontem do lado contrário estava o Paulo Ferreira, que, apesar de ser uma excelente pessoa (é), é um jogador longe do seu melhor que não jogava há meses.

4. Jorge Jesus tinha dito que queria o Chelsea porque os ingleses não percebiam nada de táctica; ontem o Benfica nunca chegou a perceber por onde andava o Ramires, com a agravante que foi precisamente Jorge Jesus quem inventou Ramires como interior direito.

 

Por cima disto tudo, está a habitual fadiga de final de época das equipas de Jorge Jesus, que faz com que qualquer organização táctica se perca nos últimos 30 minutos.

 

Enfim, é pena, porque a oportunidade de ver o Messi na Luz não era assim tão remota.



1 comentário

Comentar post